Como entender quanto você gasta e reduzir sua conta de luz

Como entender quanto você gasta e reduzir sua conta de luz

A conta de luz é um dos maiores gastos fixos no orçamento doméstico, entretanto é um dos mais difíceis de se controlar já que não é simples medir diretamente quanto cada equipamento na nossa casa consome. Com este post compartilho minha experiência e espero ajudá-los a economizar também!

1. Introdução

Já faz algum tempo que eu gostaria de abordar este tema, mas os posts (1) e (2) do ValoresReais.com me inspirou a tomar o tempo para escrevê-lo hoje.

Primeiro temos que entender a maneira que a luz é cobrada pelas concessionárias. Se você pegar sua última conta de luz, vai ver que a unidade utilizada é o kilowatt-hora (kWh). Aqui no Paraná, com impostos, o kWh está em torno de R$ 0,51. Isso significa que se você utilizar um equipamento com potência de 1000 Watts, por um período de 1 hora, irá pagar R$ 0,51. Esse é o primeiro dado que você irá precisar, consulte sua conta de luz e anote o valor cobrado pelo kWh. Note que nem sempre o valor da conta será exatamente o valor final que você paga. No Paraná pelo menos incide além dos R$ 0,479889 contratuais pelo kWh, uma tarifa de conta de iluminação pública do município. Foi por isso que estimei para o meu caso R$ 0,51.

2. Estimando o custo de utilização de um equipamento utilizando a potência nominal

A maioria dos equipamentos eletrônicos tem uma etiqueta explicitando sua potência nominal, tensão e freqüência de operação. Enquanto a tensão e a freqüência não costumam variar muito, é a potência nominal que deve ser o principal número para estimar o consumo de um dado equipamento. Tomemos por exemplo a figura abaixo:

Potência de um ventilador de mesa

Foi tirada de um ventilador de mesa. Vemos que a sua potência nominal é de 45 Watts. Vamos supor que você o utilize 12 horas por dia (todo dia a noite, quando chega em casa, e depois para dormir). Em um mês você irá ter consumido 12 horas x 45 Watts x 30 dias = 16200 Watts*hora. Como a unidade de medição é em kilowatt, você deve dividir este número por 1000: 16200/1000 = 16,20 kWh. Agora basta multiplicar este valor pelo valor do seu kWh, no meu caso: 16,20 x R$ 0,51 = R$ 8,26

Ou seja, no final do mês, você pagará aproximadamente R$ 8,00 para utilizar este ventilador todos os dias 12 horas por dia. Utilizando a mesma mecânica acima, você pode estimar o gasto da maioria dos seus equipamentos domésticos.

Quer se assustar? Faça as contas para o seu chuveiro (se tiver chuveiro elétrico) ou para o ferro de passar. Um chuveiro elétrico de 4000 Watts, em uma família com 5 membros, onde cada um toma um banho de 15 minutos todo dia, gera um gasto de: 4000 x 5 x 15/60 x 30 / 1000 = 300kWh x R$ 0,51 = R$ 153,00.

3. Estimando a potência real de um aparelho

O maior desafio em ter dados mais precisos para estimar sua conta de luz, é saber quanto de fato seu aparelho respeita o consumo nominal que ele diz ter. A primeira questão a se considerar é que o consumo de energia pode variar de acordo com o modo com o aparelho estiver funcionando. Um ventilador de mesa costuma ter várias posições (do mais fraco ao mais forte): cada uma delas consumirá uma potência diferente, quanto mais forte mais alta a potência. O mesmo vale para o seu chuveiro: ele deve ter vários ajustes de temperatura. Quanto mais quente a água, mais energia você vai consumir. E mesmo equipamentos que não tenham ajuste explícito, como um computador, vão ter consumos variáveis, dependendo de quanto você está usando ele.

Aí entra o Kill A Watt:

Kill-a-Watt

Kill A Watt medidor de consumo elétrico

O Kill A Watt é um aparelho que permite você medir exatamente quanto cada equipamento na sua residência está consumindo. Ele é vendido primariamente nos Estados Unidos, em vários lugares, como no ThinkGeek.com, mas já é possível encontrá-lo no Brasil, principalmente com importadores. Eu comprei o meu no MercadoLivre por exemplo.

Frente e verso do aparelho

Frente e verso do aparelho

Você pluga ele em uma tomada, e liga nele o aparelho que quiser medir. Os botões da frente permitem selecionar qual opção você quer consultar: tensão, corrente, potência, freqüência e o mais útil deles (o último) kWh. A função mais prática dele é deixar o aparelho que você quer testar plugado por algumas horas, e depois você confere a quantidade de kWh consumidos.

Como as tomadas são em padrão americano, tive que fazer uma pequena adaptação, utilizando um soquete de tomada (que eu tinha em casa sobrando mas que você compra por menos de R$ 1,00 em uma loja de material de construção) e um cabo antigo de computador (pontos extras pela frugalidade na economia da compra de um adaptador de tomada):

Adaptador Caseiro Padrão Americano -> Brasileiro

Adaptador Caseiro Padrão Americano -> Brasileiro

4. Estimando a potência real de alguns aparelhos

A função mais útil que encontrei para o Kill a Watt foi estimar a potência real de um aparelho para depois usar os cálculos que explicitei acima para extrapolar seu consumo no mês e no ano. A fórmula é bem simples, e montei uma planilha em Excel para registrar os cálculos. Você registra a hora de início e hora de fim da medição, e o valor em kWh mostrado pelo Kill A Watt. Quanto mais tempo você deixar rodando mais precisa será sua estimativa.

As fórmulas já estão programadas na planilha, disponível aqui: monitoramento-consumo-eletrico.xls. Mas a lógica é bem simples. Anotando o tempo que o aparelho ficou ligado, e o consumo em kWh naquele período, basta dividir pelo tempo e depois multiplicar por 1000 para obter a potência nominal estimada.

Utilizando o Kill A Watt fiz vários testes com diversos aparelhos em casa para estimar a relação entre a potência declarada e o consumo real. Para um Desktop que eu tinha aqui, com fonte de 150 Watts reais, o consumo real foi de 133 Watts. Outra possibilidade é avaliar a potência nominal em diferentes estados: ligado, stand-by, hibernando. Com isto, estimei por exemplo que uma TV CRT de 14″ em modo standby, 24 horas por dia, gastaria R$ 1,84 no mês, ou R$ 22,03 no ano.

Sugiro baixar a planilha e fazer suas próprias simulações, mesmo que você não tenha o Kill A Watt, usando as potências declaradas. De maneira geral, a potência declarada parece sempre um pouco acima da potencia real, portanto você vai acabar sendo mais conservador nos cálculos.

5. Reduzindo a conta de luz

De posse das potências estimadas (ou nominais) de seus principais equipamentos domésticos, você pode utilizar a planilha disponibilizada para projetar o consumo mensal de energia e verificar de onde sua conta está vindo tão alta. Com isso você pode se planejar e decidir onde atacar para reduzir seu consumo.

Notas


tabs-top

2 Comentários para “Como entender quanto você gasta e reduzir sua conta de luz”

  1. Marco Mota disse:

    Bem gostava de saber qual o preço de equipamento pois quero comprar e qual o e o idioma do equipamento.
    Agradeço resposta
    Obrigado

Deixar uma resposta